Desde a sua estreia até o momento em que eu gravo esse vídeo, mais de 62 milhões de lares em todo o mundo já assistiram a série completa.

A procura por tabuleiro de xadrez aumentou 250%

As buscas no Google por “como jogar xadrez” atingiu o pico da década

O livro que inspira a série virou best-seller 37 anos depois do lançamento

O número de jogadores de xadrez aumentou 500% no site chess.com

Quer saber o que tudo isso pode te ensinar a vender mais?

O Gambito da Rainha conta a história de Beth Harmon, uma menina órfã que se revela um prodígio do xadrez. Mas agora, aos 22 anos, precisa enfrentar seu vício para conseguir se tornar a maior jogadora do mundo.

 E quanto mais Beth aprimora suas habilidades no tabuleiro, mais a ideia de uma fuga lhe parece tentadora.

Quero compartilhar com você 5 coisas que eu aprendi assistindo a série e que pode te ajudar a vender mais.

Vamos à elas?

Jornada do Herói

O roteiro foi incrivelmente desenvolvido para prender atenção, gerar angústia e torcer pela atriz principal. Como você já sabe, a jornada do herói é uma técnica de Storryteling amplamente usada pelo cinema.

Quando bem utilizada, gera cortisol em quem assiste, o hormônio do estresse que deixa você angustiado e prestando a atenção no que vai acontecer nas próximas cenas.

Gera também a Oxitocina, o hormônio da empatia. Quando você vê a atriz sofrendo, isso faz você torcer por ela.

O que isso tem a ver com vendas?

As histórias possuem um poder incrível de conquistar e reter a atenção do seu cliente. Usar histórias ajuda você a vender mais.

Quando seu cliente se identifica com uma história sua, da sua empresa ou mesmo de outro cliente, fica mais fácil vender.

Você pode estar pensando: mas o cliente não dá tempo para eu contar histórias.

E quem falou que as histórias precisam ser necessariamente longas para dar resultado?

Você pode contar histórias de 2,3 minutos. Veja um pequeno roteiro para te ajudar:

– Falar dos personagens do cenário da história (30 segundos)

-Falar como era a vida do personagem central antes, seus dilemas, conflitos, suas angústias (30 segundos)

-Falar qual foi a transformação, o que ele encontrou que mudou sua vida (De preferência, seu produto ou seu serviço) (30 segundos)

– Falar como ficou a vida do personagem central da história depois desse “encontro” (30 segundos)

Percebeu como é possível? Agora é com você.

Se eu enxerguei longe foi porque me apoiei em ombros de gigantes

Na série cada jogador desenvolve seu próprio estilo de jogo. Alguns mais conservadores e outros mais agressivos, abrindo o jogo logo de início, chamando o adversário para armadilhas estratégicas, por exemplo.

Mas o que me chamou a atenção foi o fato de que praticamente todas as jogadas diferenciadas já haviam sidas usadas por grandes jogadores de outras épocas e catalogadas em livros e revistas especializadas.

Ou seja, outros gigantes do xadrez já haviam registrado as jogadas, ou pelo menos a origem delas.

Nas vendas isso é comum. Você não precisa reinventar a roda. Muita coisa já foi usado e os resultados foram comprovados.

Seguir um método ou um mentor, portando, te ajuda a encurtar os caminhos para seus resultados.

Não tenha vergonha de se apoiar aos ombros de outros gigantes.

Obsessão pelos resultados

Horas intermináveis de treinamento, estudando as possíveis falhas e pontos fracos foi determinante para o sucesso da personagem Beth Harmon na série.

Ela não aceita ser segundo lugar nem em sorteio de par ou ímpar, como se fala aqui no sul do Brasil.

Mesmo sabendo que você não vai conseguir ser o melhor no que faz o tempo todo, treinar, melhorar seus pontos fracos e potencializar seus pontos fortes, estar obcecado pelas suas metas de vendas é um diferencial na busca da excelência.

Apenas, tome cuidado para isso não virar uma doença.

Conflitos internos

O talento de Beth para o xadrez não impediu que escondesse seu lado humano. Viveu em um orfanato e os conflitos internos lhe acompanham durante toda a série. Dúvidas, incertezas, medos.

Em vários momentos sua carreira é colocada em risco por conta desses conflitos.

Eu considero que atualmente, a maior habilidade dos negociadores de alta performance é a Inteligência Emocional.

Saber lidar com suas próprias emoções e também com as emoções dos outros é o desafio do(a) vendedor(a) moderno.

Quem administra seus conflitos internos, seus medos, suas angustias, suas incertezas, vende mais.

Se livrar da sensação de que já havia perdido

Em um momento da série, quando perguntada qual foi a coisa mais difícil em uma determinada partida, Beth fala que foi conseguir se livrar da sensação de que já havia perdido.

Quantas vezes você entra em contato com um cliente ou sai para uma visita de vendas com a sensação de que a venda não vai acontecer? Que já perdeu o jogo antes mesmo dele iniciar.

Michael Jordan, lendário jogador de basquete Norte Americano, disse certa vez: por que é que devo me preocupar em errar uma cesta que eu ainda não arremessei?

A pergunta é: por que é que você deve se preocupar em perder uma venda que ainda não apresentou?

Pense nisso, um forte abraço, ótimas vendas e até o TOPO, porque é lá que vamos nos encontrar.


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + 6 =

× Como posso te ajudar?